Bem-vindo à Economia Criativa (Entrada Proibida a Máquinas)

Square

Economia criativa: a magia rende?

O que é a economia criativa?

economia criativa é um dos mais dinâmicos sectores da economia global sendo um motor para o desenvolvimento socio-económico com um enorme poder transformativo. A economia criativa está na interligação entre a economia, a cultura, a tecnologia e a dimensão social. Sendo a criatividade o motor principal, o sector está concentrado em produtos e serviços que contêm conteúdo criativo, valor cultural e relevância de mercado. Os bens e serviços criativos dependem de ideias, conhecimento, técnica e a habilidade de encontrar novas oportunidades.

Este conceito nasceu no livro ‘The Creative Economy’ de John Jowkins em 2001, dando maior sentido aquilo que antes se designava como indústria criativa, reconhecendo o impacto económico para a sociedade de todas as indústrias criativas emergentes como um todo.

Quais são as indústrias que fazem parte da economia criativa?

As indústrias criativas são o coração da economia criativa e fonte importante de valor cultural e comercial. São elas:

  • Publicidade 
  • Aquitectura 
  • Artes 
  • Design 
  • Moda 
  • Cinema 
  • Vídeo 
  • Fotografia 
  • Música 
  • Artes Performativas 
  • Edição 
  • Pesquisa & Desenvolvimento 
  • Software 
  • Gaming 
  • Publicação Eletrónica 
  • TV/Rádio

O crescimento da Classe Criativa

“Eu defino a Classe Criativa como incluíndo profissionais das ciências e engenharias, arquitectura e design, educação e artes, música e entretenimento cuja função económica é a de criar novas ideias, novas tecnologias e novos conteúdos criativos.“

A definição da classe criativa e a da sua importância na economia foi pela primeira vez criada e definida por Richard Florida em 2002 no livro ‘The Rise of The Creative Class’.

A criatividade é a forma de garantir estabilidade num emprego? Este vídeo do Richard Florida dá o mote. 

E agora algumas curiosidades sobre mentes criativas:

1. Quanto mais se dorme, mais criativo se é.
2. Quanto mais criativo, mais independente se é.
3. Quem depende da sua criatividade, lida menos bem com grupos.

Mais características aqui

Para finalizar, descobre a série ‘The Creative Class’ criada pela WeTransfer com entrevistas a Damon Albarn, Stefan Sagmeister, entre outros.
1º episódio aqui.